Caríssima (o) irmã (o),

Desde o seu início, a Igreja, povo de Deus a caminho da pátria definitiva, tem se esforçado para cumprir o mandato de Jesus como está escrito em (Mc 16, 15): ?Vão pelo mundo inteiro e anunciem a Boa Notícia para toda a humanidade?(dimensão missionária). Essa missão da Igreja de evangelizar tem sido reafirmada através dos tempos. Modernamente, diante dos desafios de um mundo mais pluralista, a evangelização é percebida como um todo complexo feito de ações diversas, mas complementares, interdependentes, isto é, a evangelização é um todo multidimensional.

Assim, consciente de que existe para evangelizar, a Igreja esforça-se primeiramente para ser sinal visível de unidade (dimensão comunitário-participativa), buscando forças na fonte inesgotável da Palavra de Deus (dimensão bíblico-catequética) e, consciente do papel transformador do Evangelho (dimensão sócio-transformadora), celebra a beleza da vida colocando-se a seu serviço num permanente louvor a Deus (dimensão litúrgica) e diálogo (dimensão ecumênica) com todos os homens e mulheres de boa vontade, para a construção de um mundo mais justo e solidário.

Neste todo complexo, cada um de nós, batizada (o), é chamada(o) a evangelizar e convidada(o) a refletir e compreender sobre a necessidade de, nessa tarefa, agir como corpo bem articulado no qual cada membro tem a sua função específica, mas não exclusiva. Cada um de nós é chamado e enviado, pela voz do próprio Deus, a participar da totalidade da Igreja e somar, a serviço da vida e da esperança num permanente diálogo com Deus e com os irmãos.

Esse é o resumo do projeto da Igreja, no mundo inteiro, na diocese, na paróquia e em cada comunidade. Na nossa Paróquia Catedral de Nossa Senhora da Conceição temos, já há alguns anos, encaminhado o processo pastoral com base numa estrutura por dimensões com vistas a uma ação mais articulada e, consequentemente, mais eficaz.

No entanto, temos observado que, apesar dos esforços feitos, esse planejamento não tem resultado muito eficiente. Sem pretendermos analisar as causas disso queremos, mais uma vez, apelar a cada irmã (o), para que, primeiramente, reflita sobre como seria bom se, sendo muitos como somos, pudéssemos agir coordenadamente, sob o impulso do Espírito Santo, para a maior glória de Deus. Queremos exortar cada irmã (o) a prestigiar a proposta do planejamento por dimensões, fortalecendo esse importante nível de decisão da ação pastoral através do qual deve passar todo um fluxo de informações e reflexões sobre a vida da nossa Paróquia. No nível da dimensão deve se situar um coração forte, capaz de bombear o sangue que irriga todo o Corpo, desde a base que é feita de equipes de serviços pastorais, até o Conselho Paroquial, sede de profundas reflexões e graves decisões sobre a vida da Paróquia.

Antecipando-nos à clássica pergunta - ?O que devemos fazer?? ? pedimos e achamos recomendável que em cada equipe pastoral haja uma profunda reflexão sobre o significado das dimensões, que cada coordenador dessas equipes valorize mais e mais a sua e o conjunto das dimensões da Paróquia, que cada representante de grupos nas respectivas dimensões esforce-se para assumir totalmente a sua função, comparecendo às reuniões, repassando as informações e contribuindo com idéias e com trabalho para a dinamização de todo o processo pastoral.

Um forte abraço,

Pe. Márcio Henrique Mendes Fernandes
Administrador Paroquial da Catedral

Rddação do site da Catedral