CRUZEIRO DA MATRIZ

Em frente a Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Campina Grande, existia um Cruzeiro, onde as pessoas acendiam velas para pagar promessas ou preces. De tanto acenderem velas, as lágrimas das velas se aglomeravam até o fim junto ao pé do Cruzeiro. Um desses tocos de vela queimou-se até acabar incendiando a madeira da Cruz, que era de cedro.

Em 1907, o Monsenhor Sales permitiu que a Prefeitura Municipal reconstruísse o Cruzeiro, mas com madeira de lei. Já em 1939, o Cruzeiro passou por outra reconstrução também de iniciativa da Prefeitura Municipal.

Em 1959, vinte anos depois, o Prefeito Municipal, Dr. Elpídio de Almeida, substituiu o Cruzeiro de Madeira por outro de Granito, colocando-o no fim da Avenida Principal do Cemitério, no local onde se acha atualmente.