O alto custo dos casamentos está inibindo os casais de noivos?

Uma fundação inglesa fez uma pesquisa acerca das razões pelas quais as pessoas optam por não se casar. Uma das respostas foi o alto custo do casamento. Com relação a este tema, aconselham não ser “extravagantes” nas celebrações e concentrar-se nas coisas mais importantes.

“Fizemos uma pesquisa sobre as razões que existem para não se casar e a razão principal para os homens era o custo do casamento”, comentou Harry Benson, funcionário de Marriage Foundation em Reino Unido.

A ‘Marriage Foundation’ iniciou um serviço a fim de ajudar para que os casais sejam mais sóbrios em suas celebrações pelo bem da sua relação. Esta instituição foi fundada por Paul Coleridge, um juiz britânico especializado em temas de família.

Preparar uma festa de casamento no México custa cerca entre 9 e 11 mil dólares. Na Colômbia e na Argentina, supõe um custo de aproximadamente entre 5 e 10 mil dólares, enquanto no Peru o valor está entre os 8 e 10 mil dólares.

Nos Estados Unidos, o preço médio está entre 17 e 20 mil dólares, enquanto na Espanha, custa entre 20 e 25 mil euros.

“Acho que as celebridades colocaram um patamar muito, muito alto com todos esses extravagantes, luxuosos e bem fotografados eventos”, comentou Benson. Por isso, quando os casais querem “a festa de casamento dos seus sonhos” não costumam ser muito “realistas”.

Melissa Naasko, mãe de família e blogger de Dyno-mom, comentou ao Grupo ACI que “se tivesse que aconselhar uma noiva seria que foque mais na cerimônia do matrimônio e menos na festa”.

Naasko considera que as melhores celebrações são as que não ultrapassam o orçamento nem causam problemas financeiro ao casal. Recordou quando organizou o casamento de uma amiga e o primeiro conselho que lhe deu foi este: “Nunca, mas nunca compre uma revista de festas, porque todas estão feitas para vender coisas. Pelo menos 60 por cento da revista são anúncios”.

Em seguida, a blogger acrescentou que evitar as revistas e os programas de televisão sobre celebrações ajuda as noivas a “prestar mais atenção no que seus amigos e familiares lhe estão dizendo e o evento se torna mais humano e menos material”.

“Não há nada de mau ter uma festa simples e a cerimônia do matrimônio obviamente é a parte mais importante do casamento”, comentou Naasko.

Matt Archbold, analista católico, indicou em um post de blog do National Catholic Register: “As grandes celebrações… podem ser decepcionantes, daninhas para a sociedade e machucam a fé das pessoas”.

Também indicou que comprometer-se por mais de um ano economizando dinheiro para gastá-lo no “grande dia” pode colocar os casais em uma precária situação moral que afeta a convivência.

Fonte: Catolicanet