Papa fala em situação social e política «inquietante»

O Papa Francisco condenou hoje em Washington, perante o Congresso norte-americano, o fundamentalismo religioso e a violência num mundo que vive uma situação “inquietante”.

“Sabemos que nenhuma religião está imune a formas de engano individual ou de extremismo ideológico. Isto significa que devemos prestar especial atenção a qualquer forma de fundamentalismo, tanto religioso como de qualquer outro género”, disse, num discurso histórico, perante congressistas e senadores, no Capitólio.

Na primeira intervenção de um Papa diante deste organismo legislativo federal, Francisco mostrou-se preocupado com a situação “social e política inquietante do mundo atual”.

“O nosso mundo torna-se cada vez mais um lugar de conflitos violentos, ódios e atrocidade brutais, cometidos até mesmo em nome de Deus e da religião”, lamentou.

Francisco admitiu a necessidade de um “delicado equilíbrio” para se combater a violência perpetrada “em nome duma religião, duma ideologia ou dum sistema económico”, enquanto se salvaguarda a liberdade religiosa, a liberdade intelectual e as liberdades individuais.

“Sabemos que, na ânsia de nos libertar do inimigo externo, podemos ser tentados a alimentar o inimigo interno”, sublinhou aos presentes.

O Papa propôs como resposta a “esperança e cura”, para “restaurar a paz, remediar os erros, manter os compromissos, e assim promover o bem-estar dos indivíduos e dos povos”.

“Nesta terra, as várias denominações religiosas deram uma grande ajuda na construção e fortalecimento da sociedade”, lembrou ainda.

A intervenção recordou várias figuras da história dos EUA, incluindo o monge cisterciense Thomas Merton (1915-1968), “homem de diálogo, um promotor de paz entre povos e religiões”.

No final, o presidente do Congresso acompanhou o Papa à sala das estátuas, onde foi colocada a imagem do novo santo hispano-americano, São Junípero Serra, seguindo para a Biblioteca, onde recebeu uma edição rara da Bíblia.

Antes de sair, Francisco sai à varanda para cumprimentar a multidão reunida no ‘National Mall’, onde falou em espanhol.

“Agradeço-vos pelo vosso acolhimento e presença”, com uma palavra particular para as crianças, disse, antes de abençoar o povo norte-americano, já em inglês, com a frase “God Bless America”.

Fonte:Agencia Ecllesia