Papa adverte contra o cansaço: ”É o campo perfeito para o diabo semear”

O Papa Francisco refletiu, durante a Missa celebrada nesta terça-feira, 9 de abril, na Casa Santa Marta, sobre "o cansaço" do povo de Israel após a fuga do Egito e advertiu que, como os israelitas, os cristãos às vezes "preferem a falência” , porque permitem refugiar-se na murmuração e na insatisfação, “o campo perfeito para o diabo semear".
Como se lê na Primeira Leitura do dia, do Livro dos Números, "o povo de Deus não suportou a viagem" através do deserto, explicou Francisco. O entusiasmo e a esperança da fuga do Egito, da escravidão, foram se perdendo aos poucos.
Neles, "o espírito de cansaço lhes tirou a esperança. O cansaço é seletivo: sempre nos faz ver o lado ruim do momento que estamos vivendo e esquecer as coisas boas que recebemos".
"E nós, quando estamos desolados, não suportamos a viagem e buscamos refúgio nos ídolos ou na murmuração". "Este espírito de cansaço em nós cristãos nos leva também a um modo de viver insatisfeito: o espírito de insatisfação. Tudo é ruim, tudo nos incomoda...".


Advertiu que o "medo à esperança", o “medo à falta do Senhor” levam a ceder ao fracasso, e "esta é a vida de muitos cristãos. Vivem se lamentando, vivem criticando, vivem murmurando, vivem insatisfeitos".
A Bíblia diz que o povo de Israel "não suportou a viagem". E como os israelitas, o Papa assegurou que “nós cristãos muitas vezes não suportamos a viagem. E a nossa preferência é nos apegar à falência, isto é, à desolação. E a desolação pertence à serpente: a serpente antiga, aquela do paraíso terrestre. É um símbolo aqui: a mesma cobra que seduziu Eva e esta é uma maneira de mostrar a cobra que têm dentro, que morde sempre na desolação".
O Papa concluiu sua homilia pedindo que "o Senhor nos liberte desta doença".
Esta é a leitura comentada pelo Papa Francisco:
Leitura do Livro dos Números 21,4-9
Naqueles dias, 4os filhos de Israel partiram do monte Hor, pelo caminho que leva ao mar Vermelho, para contornarem o país de Edom.
Durante a viagem, o povo começou a impacientar-se, 5e se pôs a falar contra Deus e contra Moisés, dizendo: “Por que nos fizestes sair do Egito para morrermos no deserto? Não há pão, falta água, e já estamos com nojo desse alimento miserável”.
6Então o Senhor mandou contra o povo serpentes venenosas, que os mordiam; e morreu muita gente em Israel. 7O povo foi ter com Moisés e disse: “Pecamos, falando contra o Senhor e contra ti. Roga ao Senhor que afaste de nós as serpentes”.
Moisés intercedeu pelo povo, 8e o Senhor respondeu: “Faze uma serpente abrasadora e coloca-a como sinal sobre uma haste; aquele que for mordido e olhar para ela viverá”. 9Moisés fez, pois, uma serpente de bronze e colocou-a como sinal sobre uma haste. Quando alguém era mordido por uma serpente, e olhava para a serpente de bronze, ficava curado.
ACIDIGITAL