Hoje é celebrada Bem-aventurada Maria Romero, que viveu plenamente a misericórdia

A Bem-aventurada Maria Romero Meneses foi uma religiosa salesiana que se dedicou a servir aos pobres durante 46 anos depois que sua congregação a enviou para a Costa Rica a fim de ajudar em consultórios médicos, internatos de jovens e na Associação de Ajuda aos Necessitados, composta por famílias que antes viviam em condições sub-humanas.

Além disso, Irmã Maria se encarregou de capacitar jovens e senhoras em atividades domésticas como cozinha, costura e outros trabalhos; oferecia vestuário a um preço simbólico ou de forma gratuita; e distribuía cestas básicas.






Nasceu em Granada (Nicarágua) em 13 de janeiro de 1902, em uma família muito rica, mas de grande sensibilidade para com as necessidades dos mais pobres.

Em 1910, chegaram à Nicarágua as missionárias de Dom Bosco, Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), congregação da qual se tornaria integrante durante resto de sua vida. Graças a elas, identificou-se imediatamente com a figura do grande apóstolo da juventude, em quem encontrou a encarnação dos ideais mais profundos de seu espírito.

Em 1921, recebeu o hábito religioso de sua congregação e passou a se chamar Irmã Maria Romero. Seus votos perpétuos foram proferidos em 1929.

Seu ideal foi amar profundamente Jesus junto com a Virgem Maria. Sua maior alegria foi a possibilidade de aproximar da verdade as crianças, os pobres, os que sofrem, os marginalizados. A mais ambiciosa recompensa de seus sacrifícios foi ver reflorescer a paz e a fé em uma vida “perdida”.

Faleceu em 7 de julho de 1977. No ano 2002, foi beatificada pelo Papa São João Paulo II ao ser comprovado o milagre da menina costa-riquenha Maria Solís, que após as orações de sua mãe, nasceu curada, embora várias ultrassonografias indicassem que teria lábio leporino. Dessa maneira, tornou-se a segunda mulher da América Central beatificada.
Acidigital